15 de nov de 2012

The Only Excepition capitulo 8 - Apaixonados



"Eu sei que ela é a unica pessoa nesse mundo que vai me fazer feliz."

“Uma bela casa, uma cozinha desconhecida, eu com uma pequena menina no colo, ela tinha lindos olhos verdes, incrivelmente brilhantes, a mesma tinha o cabelo castanho não muito comprido um pouco abaixo dos ombros, ela me olhava e sorria, eu devolvia um sorriso na mesma intensidade, mas quando um palavra saiu de sua boca meu subconsciente ficou surpreso, mas meu corpo parecia aceitar aquilo.
-mamãe – chamou-me ela, ouvi-me a responder, mas meus pensamentos não pareciam aceitar aquilo.
- sim minha pequena?
- papai vai demorar a chegar? – quando meu subconsciente ouviu aquilo ele praticamente gritou, mas som algum saiu de minha boca que se parecesse com o que minha mente fazia, eu apenas me sentia presa no meu próprio corpo, um pouco estranho devo admitir. Logo me ouvi respondendo a pequena menina.
- não querida, daqui a pouco ele estará aqui para brincar com você.
Ela sorriu e me abraçou dizendo.
- te amo mamãe. – ela me chamando assim era estranho, como eu uma garota de 15 anos podia ser mãe, era assustador pensar nessa hipótese, logo uma voz soou pela casa, fazendo a pequena menina sair de meus braços rapidamente e correr para fora da cozinha, segundos depois ele, Austin apareceu com a pequena criança no colo, ele brincava com ela, logo que ele chegou perto de mim selou-me e disse.
- oi minha linda. – meu corpo outra respondeu normalmente enquanto meu subconsciente continuava surpreso com tudo.
- oi querido, como foi hoje no trabalho?
- tranquilo como sempre, e você pequena o que fez o dia todo? – ele falou tocando a ponta do nariz da menina, a pequena sorriu e falou.
- eu brinquei, e ajudei a mamãe, Papai. – então eu e Austin estávamos casados, como assim? A poucos minutos eu tinha 15 anos, morava na casa de minha tia e mal o conhecia, o que está acontecendo? Isso está estranho, estou confusa, o que aconteceu?”

Levantei-me da cama assustada tudo não passava de um sonho, um tanto quanto real, eu devo estar ficando louca, imaginando eu e Austin casados já passou dos limites, eu o conheço a menos de 24 horas, o que está acontecendo?
Não havia amanhecido ainda, olhei para o relógio de meu celular e marcava 4:20 da manha, eu deitei minha cabeça no travesseiro e fitei o teto e soltei um longo suspiro, logo levantando da cama e andando ate a porta, desci as escadas e fui em direção da cozinha, eu precisava de um copo d’água.
Abri a porta da geladeira e peguei a jará cheia de água, e peguei um copo, e logo comecei a por a água dentro do mesmo. Meus pensamentos continuavam no sonho, eu ainda achava aquilo muito estranho, como eu podia estar sonhando com ele, nunca havia passado por isso, eu estava muito confusa.

Austin On

Seus olhos, seu cheiro, sua voz, não saiam de minha cabeça, a lembrança dela me olhando quando caímos era nítida em minha mente, à vontade de vê-la novamente era enorme, dormir era um coisa quase impossível já que meu corpo e minha mente só que riam ela.
Já se passava das 3 da manha, e não havia dormido nada, tenho certeza que amanha vou parecer um zumbi ambulante, mas eu não conseguia fechar os olhos, eu só conseguia pensar nela.

“– tava sujo.
Annalu - o que tava sujo?
- sua boca.”

Minha vontade de beijá-la nesse momento foi muito forte, mas me controlei, assustá-la era o que eu menos desejava.
Logo adormeci pensando nela...

[...]

Pí...pí...pí... Um barulho irritante acabou com o silencio de meu quarto, eu abri meus olhos sonolento e vi o radio relógio que marcava 8:00, - hora de acordar - pensei, hoje começariam as aulas, em parte eu estava feliz, mas em outra eu estava um pouco desanimado e com sono, pela noite mal dormida, mas minha preguiça sumiu quando lembrei que veria ela, Annalu iria estudar na mesma escola que eu, involuntariamente um sorriso brotou em meu lábios, balancei a cabeça afim de me desfazer desse pensamentos e andei ate o banheiro.
Chegando ao mesmo me olhei no espelho e notei meus olhos um pouco avermelhados e inchados, se minha mãe me visse assim logo pensaria que eu estou usando drogas, ri de meu pensamento e logo em seguida jogando água sobre o meu rosto, escovei meus dentes e logo me despi e tomei um banho, não preciso dizer que durante o banho pensei nela, está virando mania pensar nela, mas tenho que admitir que essa mania me agrada, mas as vezes é sufocante, pois não posso tocá-la e nem tê-la pra mim, mas tenho esperança que um dia eu vou tê-la.

[...]

Sai do banho enrolado em uma toalha, e fui em busca de uma roupa confortável, logo a vesti, quando estava arrumando meu cabelo ouço um batida na porta.
- entre. – falei, logo a porta de abriu e vi a imagem de minha mãe ela sorriu e falou.
Michelle - como está lindo o meu menino, alguma coisa em especial terá hoje na escola?
- não Mãe, porque teria?
Michelle – está todo bonito e cheiroso. – ela falou sorrindo, eu olhei para os meus pés colocando as mãos no bolso e fiquei em silencio, logo ouvi ela falar. – alguma garota nessa historia Austin?
- que que i-isso mãe, não tem garota nenhuma. – eu falei coçando a nuca e desviando o olhar dela, não conseguia mentir olhando nos olhos dela, bom eu ate tentei, mas ela me conhece bem ela apenas falou.
Michelle - tudo bem se não quer me contar, eu entendo, mas bem eu vim aqui porque Alex, Robert e uma garota muito bonita estão te esperando lá em baixo.
- Annalu. – sussurrei e sorri.
Michelle – falou algo Austin?
- não nada mãe, estou descendo, beijo mãe te amo. – falei beijando a bochecha dela.
Michelle – bom aula meu filho.
Sai do quarto e desci as escadas um pouco apressado encontrei Robert e Alex no fim da escadas e ela estava olhando alguns porta retratos na parede da sala, ela estava linda, seu cabelo estava solto, ela era usava uma roupa curta, logo Robert a chamou, e quando ela se virou, e nosso olhos se encontraram não pude evitar de sorrir, ela é linda, vi a mesma abaixar a cabeça e falar quase sussurrando.
Annalu – bom dia Austin.
- Bo-bom dia Annalu. – droga eu gaguejei ela vai pensar que sou um idiota, eu fiquei a fitando ate ouvir Alex falar.
Alex – então...Vamos?
- Claro – falou Robert. – Vamos annalu. – ele acrescentou logo depois, eu fiquei ali parado ate ouvi a voz de Alex.
Alex – você vem cara?
- estou indo. – falei andando ate eles que me esperavam do lado de fora da casa já.
Nosso caminho ate a escola foi normal, apenas Alex e Robert falavam, eu as vezes concordava com o que eles falavam, as vezes ouvi ela rir do que Alex falava, mas nada a mais do que isso.
Quando chegamos no colégio Robert levou Annalu ate a sala da direção, ela precisava dos horários e da autorização para entrar nas aulas.
Eu e Alex ficamos sentando em um banco no pátio, varias garotas nos fitavam, logo vejo ela, a garota mais chata do colégio vindo em minha direção, ela parou na minha frente falou com sua voz nasalada e irritante.
Gabriella – Oi Austin.
- oi vadia...quer dizer Gabriella. – ela pareceu ignorar o que eu havia falar e apenas continuou a falar.
Gabriella – Já soube da minha festa de volta as aulas?
- não acabei de chegar no colégio.
Gabriella – bom ficou sabendo agora, as 20:00 sábado na minha casa gatinho. – ela falou mandando um beijo no ar e saindo rebolando dali, nossa como ela me dava nojo. Fui tirado dos meu pensamentos por Alex.
Alex – vai à festa dude?
- não sei, e você? – falei o fitando.
Alex – tava pesando em ir e convidar Annalu. – quando ele falou isso arregalei meus olhos, senti meu sangue ferver, serrei meu punho, eu não podia está com ciúme, cara eu mal a conhecia o que está acontecendo estou confuso.

Continua>>>

Demorei mas está ai, eu não postei ontem porque eu tinha um festa do pijama e tinha esquecido xoxox, bom mas espero que tenham gostado do capitulo.
Comentem ♥


4 comentários: