4 de nov de 2013

Everything About You capitulo 3 - Definitivamente NÃO



Não pude evitar o encontro logo já estava à frente da mesa ao lado de Michele, eu tentava de todo jeito não levantar o meu rosto, não sei ao certo por que estava me comportando assim, por que diabos eu não queira que ele me visse? Qual era o problema comigo? Pra fazer a verdade eu não sabia, mas eu queria descobrir e logo.

- filho e Becky. – disse doutora Michele, mas ao pronunciar o nome da garota notei um pequeno desprezo no tom de voz.
- e ai dona Michele. – disse a garota vulgarmente, com uma educação super arcaica, por quem ela fora criada pelos homens das cavernas e que jeito de falar é esse tão, tão masculino? Ela parecia um garoto falando, por um momento pensei que ela fosse um, quase ri de meus pensamentos, mas controlei-me queria evitar atenção.
- mamãe você demorou. – disse o rapaz e pode perceber que sorria, legal ele tinha um belo sorriso, sim eu levantei um pouco o rosto para ver isso.
- me desculpe querido é que passei em um lugar primeiro. – disse Michele me puxando para frente dela e logo continuou. – Se não se importam trouxe Anna Marie comigo. – disse doutora Michele sorrindo enquanto afagava meus ombros. Bom aquela era a hora que eu levantava meu rosto e então logo fiz o ato, levantei meu rosto e logo notei a cara de surpresa de Austin, mas que logo sorriu e disse se apoiando na mesa e entrelaçando as mãos.
- Olha se não é a maluca dos cartazes.
- olha se não é o idiota estraga tudo. – disse firme cruzando os braços.
A becky olhou para mim como se fosse me mutilar com o olhar e logo perguntou a austin.
- você a conhece Aus? – austin sorriu e se recostou no banco do reservado e disse.
- eu a salvei ontem de ser atropelada. – disse ele como se aquilo realmente fosse verdade.
- que mentira você que quase me atropelou. – protestei.
- se você não estivesse no meio da rua nada disso aconteceria, sua maluca. – disse ele meio irritado.
- Olha como você fala comigo seu idiota. – avancei com palavras duras e com o tom elevado, esse garoto estava me irritando.
Austin iria falar algo, mas fora interrompido pela doutora Michele.
- meu deus vocês parecem duas crianças, nada de discussão, eu trouxe Anna para se enturmar. Você precisa de amigo e pensei que você e Austin poderia ser bom amigos, e o que aconteceu ontem fica no passado. – disse Michele olhando-me, eu olhei austin e revirei os olhos e nada disse, apenas desfiz a dobra de braços sobre meu busto e pôs uma das mãos na cintura, tentando assim arranjar uma posição que mostrasse que eu não me importava com a presença daquele idiota.
- podemos ter um café da manha normal e calmo? – perguntou Michele olhando a austin e a mim, eu fitei ela e um pouco contrariada assenti assim como austin que deu um leve sorriso notavelmente falso.

[...]

_ obrigada pelo café da manha. – balbuciei assim que doutora Michele parou o carro na frente de minha casa.
- não precisa agradecer querida é meu dever te ver bem. – disse ela sorrindo
Eu apenas sorri e despedi-me dela.
- eu também existo - disse Austin colocando a cabeça para fora assim que eu saí do carro, ele tinha um sorriso travesso e olhava-me esperando que eu dissesse algo.
- não sua presença é tão insignificante que eu havia esquecido de você. – disse olhando o com desde, ele desfez o sorriso e armou um carro emburrada, voltou a sentar direito no banco e logo Michele arrancou com o carro, eu fiquei ali na calçada ate ver o carro sumir, então virei-me para minha casa respirei fundo e tomei coragem para entrar em casa e encarrar a fera, quer dizer meu pai.

-onde estava? – perguntou Evan, meu pai, assim que entrei em casa.
- sai com a doutora Mahone. – disse subindo para meu quarto.
- por que não avisou-me que iria sair? – perguntou ele subindo atrás de mim.
- você não estava em casa. – disse simples.
- e seu celular serve para que? – perguntou ele irônico.
- não tenho seu numero. – disse mentindo.
- mas é claro que têm. – disse Ele
- Não eu apaguei. – menti mais uma vez, eu apenas não queria lhe dar uma explicação.
- como... –mal deixei ele completar a frase e fechei a porta de meu quarto a trancando, eu estava chateada com ele, pelo tapa de ontem e por mais uma montanha de coisas, ele nunca sabia me deixar feliz, sempre arranjava lago para me ferir, eu apenas queria voltar ao brasil, queria poder ficar com minha mãe, mas eu não podia, meu pai tinha minha guarda legal e eu tinha que o suportar ali naquela cidade que eu odiava a cada dia.
Por que a vida sempre me fazia sofrer, será que deus não me amava? Eu só queria poder sorrir novamente.

Fui desperta de meus devaneios pelo meu celular “gritando” o toque de sms, peguei o aparelho e fitei a tela, numero desconhecido, logo abri a mensagem curiosa, nela estava escrito.

“Manha legal não?”


De momento eu tentei achar alguém que tivesse mandando aquilo, pensei ate na doutora Michele, mas eu tinha o numero dela, então ninguém vinha mais a minha cabeça, bom veio uma pessoa, Austin, mas eu logo o tirei do pensamento, não seria ele, definitivamente não.

Heey me desculpem a pequena demora para postar, mas ai está o capitulo 3 espero que gostem!!
Amei muito os comentairos do capitulos passado suas divas ♥♥

Continuo com 10 comentários



13 comentários: